Portas Raras (Ao Vivo)
2023
  1. Portas (Ao Vivo)

  2. 1DOCE VAMPIROLetra
    Rita Lee
    Venha me beijarMeu doce vampiroUô uô uhNa luz do luar
    Aah, venha sugar o calorDe dentro do meu sangueVermelhoTão vivo, tão eternoVeneno
    Que mata a sua sedeQue me bebe quenteComo um licorBrindando a morteE fazendo amor
    Meu doce vampiroUô uô uhNa luz do luar
    Aaah, me acostumei com vocêSempre reclamandoDa vidaMe ferindo, me curandoA ferida
    Mas nada disso importaVou abrir a portaPra você entrarBeija minha bocaAté me matar
    ShalalaláUô uô uh, shalalalá
    Aah, me acostumei com vocêSempre reclamandoDa vidaMe ferindo, me curandoA ferida
    Mas nada disso importaVou abrir a portaPra você entrarBeija minha bocaAté me matarDe amor
  3. 2A LUA E EULetra
    Cassiano / Paulo Zdanowski

    Mais um ano se passou

    E nem sequer ouvi falar seu nome

    A lua e eu

    Caminhando pela estrada

    Eu olho em volta e só vejo pegadas

    Mas não são as suas

    Eu sei, eu sei, eu sei

    O vento faz eu lembrar você

    As folhas caem mortas como eu

    Quando olho no espelho

    Estou ficando velho e acabado

    Procuro encontrar

    Não sei onde está você Você (você)

    O vento faz eu lembrar você

    As folhas caem mortas como eu

    A lua e eu

  4. 3SEO ZÉLetra
    Marisa Monte / Carlinhos Brown / Nando Reis
    O Brasil não é só verde anil e amareloO Brasil também é cor-de-rosa e carvãoPatrimônio de Antônio, anônimo nômadeHomem que rompe, Adão com facão
    Seo Zé tá pensando em boiBananeira sangrouMais um pro baião de doisLampião findou cabôco
    Vamos chamar Brás Cubas pra dançar quadrilhaPra subir pra Cuba com toda famíliaSe encontrarmos Judas celebrando budasPerfilamos mulas pra abalar Belém
    Seo Zé tá tangendo boiE a porteira serrouQuem foi nunca mais se foiFoi, foi, foiE a roseira flororô
    O Brasil não é só verde anil e amareloO Brasil também é cor-de-rosa e carvãoPatrimônio de Antônio, anônimo nômadeHomem que rompe, Adão com facão
    Seo Zé tá pensando em boiBananeira sangrouMais um pro baião de dois, dois, dois, doisLampião findou cabôco
    Vamos chamar Brás Cubas pra dançar quadrilhaPra subir pra Cuba com toda famíliaSe encontrarmos Judas celebrando budasPerfilamos mulas pra abalar Belém
    Seo Zé tá tangendo boiE a porteira serrouQuem foi nunca mais se foiFoi, foi, foiE a roseira flororô
  5. 4LAMENTO SERTANEJOLetra
    Dominguinhos / Gilberto Gil
    Por ser de láDo sertão, lá do cerradoLá do interior do matoDa caatinga do roçado.Eu quase não saioEu quase não tenho amigosEu quase que não consigoFicar na cidade sem viver contrariado.
    Por ser de láNa certa por isso mesmoNão gosto de cama moleNão sei comer sem torresmoEu quase não faloEu quase não sei de nadaSou como rês desgarradaNessa multidão boiada caminhando a esmo
  6. 5PERNAMBUCOBUCOLISMOLetra
    Marisa Monte / Rodrigo Campello
    Eu vou fazerUm movimento, amorUma canção para inventar o nosso amor
    Eu vou fazerUma revolução
    Eu vou pra Londres, vou pra longeSei que vouOnde luarNão há igual aquiIgual aqui não háOutro lugar
    Eu sinto bucolismoEu sinto bucolismo
    PernambucobucolismoPernambucobucolismoPernambucobucolismo
  7. 6O LEÃOZINHOLetra
    Caetano Veloso
    Gosto muito de te ver, leãozinhoCaminhando sob o solGosto muito de você, leãozinho
    Para desentristecer, leãozinhoO meu coração tão sóBasta eu encontrar você no caminho
    Um filhote de leão, raio da manhãArrastando o meu olhar como um ímãO meu coração é o sol, pai de toda a corQuando ele lhe doura a pele ao léu
    Gosto de te ver ao sol, leãozinhoDe te ver entrar no marTua pele, tua luz, tua juba
    Gosto de ficar ao sol, leãozinhoDe molhar minha jubaDe estar perto de você e entrar numa
    Gosto muito de te ver, leãozinhoCaminhando sob o solGosto muito de você, leãozinho
    Para desentristecer, leãozinhoO meu coração tão sóBasta eu encontrar você no caminho
    Um filhote de leão, raio da manhãArrastando o meu olhar como um ímãO meu coração é o sol, pai de toda a corQuando ele lhe doura a pele ao léu
    Gosto de te ver ao sol, leãozinhoDe te ver entrar no marTua pele, tua luz, tua juba
    Gosto de ficar ao sol, leãozinhoDe molhar minha jubaDe estar perto de você e entrar numa
  8. 7FELICIDADELetra
    Lupicínio Rodrigues

    Felicidade foi-se embora
    E a saudade no meu peito ainda mora
    E é por isso que eu gosto lá de fora
    Porque eu sei que a falsidade não vigora

    Felicidade foi-se embora
    E a saudade no meu peito ainda mora
    E é por isso que eu gosto lá de fora
    Porque eu sei que a falsidade não vigora

    A minha casa fica lá detrás do mundo
    Onde eu vou em um segundo quando começo a cantar
    O pensamento parece uma coisa à toa
    Mas como a gente voa quando começa a pensar

    Felicidade foi-se embora
    E a saudade no meu peito ainda mora
    E é por isso que eu gosto lá de fora
    Porque eu sei que a falsidade não vigora

    Felicidade foi-se embora
    E a saudade no meu peito ainda mora
    E é por isso que eu gosto lá de fora
    Porque eu sei que a falsidade não vigora

    A minha casa fica lá detrás do mundo
    Onde eu vou em um segundo quando começo a cantar
    O pensamento parece uma coisa à toa
    Mas como a gente voa quando começa a pensar

    A minha casa fica lá detrás do mundo
    Onde eu vou em um segundo quando começo a cantar
    O pensamento parece uma coisa à toa
    Mas como a gente voa quando começa a pensar

    Felicidade foi-se embora
    E a saudade no meu peito ainda mora
    E é por isso que eu gosto lá de fora
    Porque eu sei que a falsidade não vigora

  9. 8A VIDA DE VIAJANTELetra
    Luiz Gonzaga / Herve Cordovil

    Minha vida é andar por este país
    Pra ver se um dia descanso feliz
    Guardando as recordações
    Das terras onde passei
    Andando pelos sertões
    E dos amigos que lá deixei

    Chuva e sol
    Poeira e carvão
    Longe de casa
    Sigo o roteiro
    Mais uma estação
    E a alegria no coração

    Minha vida é andar por esse país
    Pra ver se um dia descanso feliz
    Guardando as recordações
    Das terras onde passei
    Andando pelos sertões
    E dos amigos que lá deixei

    Mar e terra
    Inverno e verão
    Mostro o sorriso
    Mostro a alegria
    Mas eu mesmo não
    E a saudade no coração

Ficha Técnica

DADI - Baixo
DAVI MORAES - Guitarras
PUPILLO - Bateria
PRETINHO DA SERRINHA – Percussão, Cavaquinho e Voz
CHICO BROWN - Teclado, Violão e Guitarra
ANTONIO NEVES - Trombone e Arranjos de metais
EDUARDO SANTANNA - Trompete e Flugelhorn
OSWALDO LESSA - Sax e Flauta
JORGE DREXLER - Participação Especial em O Leãozinho
WALDONYS - Participação Especial em em Lamento Sertanejo e A Vida de Viajante

Engenheiros de Gravação: DANIEL CARVALHO e ARTHUR LUNA
Assistentes de Gravação: MÁRCIO BARROS, ALEX OLIMPIO, IRAN BERNARDES, ANDERSON DOS SANTOS, DINILSON 'CHINA' ISHICAVA E JOSIEL SILVA
Estúdio de Mixagem: ESTÚDIO 2 IRMÃOS, RIO DE JANEIRO/RJ
Estúdio de Masterização: ESTÚDIO 2 IRMÃOS, RIO DE JANEIRO/RJ
Engenheiro de Masterização: DANIEL CARVALHO
Produção Musical: MARISA MONTE
Direção Executiva: SIMON FULLER
Produção Executiva: MARIA FORTES
Cleareances: SOLANGE RUIZ
Midias Digitais: DIGIMAKKI
Produção: Kappamakki
Lançamento: Phonomotor

Sobre o Álbum